Screen

Profile

Layout

Direction

Menu Style

Cpanel

A quem beneficiou o espetáculo midiático da libertação de Odín Sánchez?

  • PDF
      Traducción de la politóloga brasileña Gracia Salgueiro.
      Cover el eln por dentroA libertação do ex-congressista chocoano [1] Odín Sánchez, que estava seqüestrado por uma das estruturas terroristas do ELN, converteu-se em um calculado espetáculo midiático que por muitos motivos beneficiou vários atores interessados em sua auto-publicidade, porém, como tudo o que vem sucedendo com os temas de guerra e paz neste país, causou um dano a mais à Colômbia.
       Com sua costumeira trapaça auto-propagandística, o presidente Santos ordenou a seus delegados de paz que combinassem com o ELN, como data de entrega do seqüestrado o 2 de fevereiro, quer dizer, o mesmo dia em que se iniciava outro espetáculo promovido por Santos, para satisfazer temporariamente sua ilimitada vaidade, mediante a reunião publicitária em Bogotá, de alguns dos inoficiosos ganhadores de anteriores prêmios Nobel da Paz.
     Como é costume de Santos, ele aproveitou a ocasião para se vangloriar e anunciar com pompa e circunstância, que a instalação dessa cúpula de figuras decorativas coincidia com a aproximação da suposta concentração total das FARC nas zonas veredais de transição e, evidentemente, com a libertação do ex-congressista Sánchez.
      Mediante um artifício próprio de sua personalidade tramadora e superficial, Santos se deu outro banho de auto-popularidade paga com o erário colombiano. Porém, o país não ganhou nada… Falta saber o que mais Santos pôde ter dado ou prometido ao ELN para que lhes permitissem fazer este show.
      Por sua parte, o ELN conseguiu, segundo se rumora, mais de três bilhões de pesos [2] para suas arcas, a libertação de dois terroristas presos e a dilatação calculada das conversações, ao mesmo tempo em que um de seus porta-vozes comentou à Agência AFP que o ELN não tem afã para fechar nenhum acordo com este governo, pois seu interesse é a desarticulação das Forças Militares e a mudança de visão sobre a propriedade privada. Além disso, outra frente do ELN seqüestrou um soldado e disso ninguém diz nada.
     cover condor en el aireNesse sentido, o ELN está aplicando a mesma estratégia das FARC, consistente em impor a agenda, os tempos, as condições e os objetivos das conversações, frente a negociadores neófitos, cegos, surdos e mudos ante a realidade colombiana, que só obedecem a quem lhes paga em dólares, por coadjuvar-lhe em sua embromação de paz sem clareza nem benefícios político-estratégicos para a Colômbia.
      Mediante uma estratégia de provada efetividade impositiva usada pelas FARC em Cuba, o ELN tem encurralados os negociadores de paz do governo e ao próprio Santos, a quem o tempo de seu mandato está acabando, sem ter nada tangível para demonstrar que merecia o criticado Prêmio Nobel da Paz.
      As FARC também ganharam, pois aproveitaram a estultícia auto-publicitária de Santos e conseguiram que o pedófilo Pablo Catatumbo se reunisse cara-a-cara com Santos e o presidente francês Hollande, dilataram a devolução dos menores de idade, aparentaram estar quase prontos para entrar nas zonas veredais, e puseram os dissimulados portadores do Prêmio Nobel de Paz para legitimá-los como uma agrupação política.
      Mediante a estratégia de pôr o ELN para pressionar na mesa de conversações em Quito, as FARC estão ganhando tempo para construir 26 “casa-verdes” [3] onde chegarão personalidades e lagartos internacionais para falar de paz. Assim, as FARC não concretizam nada, pois cada dia terão uma desculpa para não entregar as armas, porém sim, insistirão em que têm toda a vontade de paz e a necessidade de erradicar “as causas que originaram o conflito”, persistirão no desmonte gradual das Forças Militares, porão travas à aplicação da justiça nos casos de delitos de lesa humanidade, etc.
      Entretanto, as milícias bolivarianas deixadas nas zonas de presença histórica das FARC continuarão recrutando e delinqüindo como sempre, mas sem a pressão das Força Militares que já não patrulham essas áreas por imposição dos comunistas armados e desarmados. Tudo isso faz parte do “governo de transição” e do cumprimento de seu Plano Estratégico, pois “juraram vencer” e como disse à imprensa um terrorista do Bloco Oriental das FARC, o que seguirá é impor à oligarquia o acordado com Santos.
      Também ganhou Odín Sánchez, que com grande desembaraço disse à CNN que esteve em perfeitas condições, que nem gripe teve, que Santos é seu super-herói e deu a entender que talvez o nomeie como responsável pelo investimento de recursos para a paz nessa região, não tanto como delegado das vítimas na mesa de imposições do ELN em Quito, mas como o salvador dos problemas históricos de pobreza e abandono de sua região. Pelo visto, não fez grande coisa quando foi congressista. Em síntese, Sánchez quer explorar politicamente o evento, para seu benefício pessoal.
      Por outro lado, ganharam os burocratas pela ONU para verificar o suposto desarmamento das FARC, pois em meio a vivas e propaganda do gesto de “boa-vontade das FARC ao se concentrar e do ELN ao libertar Sánchez”, agora sim começarão a trabalhar, não a festejar com os terroristas.
      Obviamente os menos interessados em que haja acordos logo são o general argentino e sua cambada de dançarinos da ONU, pois se o processo se encerrar nos seis meses previstos, se lhes acaba o contrato e eles deixam de receber pagamentos mensais em dólares com diárias, farras, guloseimas, bailes, guitarra e canção. Para eles é melhor que o processo se dilate.
      Do mesmo modo ocorre com os negociadores do governo em Quito, pois já viram que De la Calle, Jaramillo, Pearl, Mora, Naranjo e os demais mudos frente às FARC, ganharam ingentes somas de dinheiro em dólares por permitir a dilatação calculada por parte dos terroristas, então, não há afã de que se concretize algo. O importante para esses negociadores é que, de vez em quando, tenham algum anúncio espetacular que permita a Santos se dar banhos de popularidade como “autêntico gestor de paz”. E todos ficam felizes…
      Visto esse quadro de insipidez, restam mais perguntas do que respostas sobre o tapete.
      Por exemplo: quanto dinheiro realmente pagou a família Sánchez aos terroristas pela libertação do ex-congressista? Por que o congressista mente e não diz nada aos meios de comunicação acerca do montante, com o conto do vigário de que ainda não pôde falar disso com a família? De onde saiu o dinheiro, pois é improvável que mediante rifas e coletas de boa vontade, uma população tão empobrecida como a do Chocó possa contribuir com uma multi-milionária cifra, principalmente porque o próprio Sánchez assegura que os bandidos pediam 15 milhões de dólares pela libertação?
     Por que o loquaz Promotor Geral da Nação não se pronunciou a respeito, nem citou o senhor Sánchez e seus familiares para declarar tudo o que fosse relacionado com o seqüestro? Por que o Congresso da República guarda silêncio cúmplice com a baboseira da paz, e não chama para debate os altos funcionários que têm a ver com esta libertação tropical?
      Por que, nem o Congresso da República nem os meios de comunicação questionam o governo nacional por permitir a legitimação de vários delitos neste caso, aceitando cobranças excessivas do grupo criminoso, seqüestro de um militar, show publicitário e mediações de pessoas de duvidosa reputação em nome da paz, além de não ter aprendido nada da direção que as FARC deram à outra mesa de imposições em Cuba?
      Assim, em 7 de fevereiro de 2017 continuará a ópera bufa e chegará o 7 de agosto de 2018 sem que Santos consiga nada de bom para a Colômbia, apesar do desperdício de recursos públicos em honra de sua auto-imagem e auto-publicidade. Então, as FARC, o ELN e o EPL que está ressurgindo continuarão no mesmo, junto com os bandos criminosos repletos de motes e nomes tão pitorescos como trágicos.
    * Coronel Luis Alberto Villamarín Pulido*
      Analista e especialista em defesa nacional, geo-política e estratégia.
     www.luisvillamarin.com 
 
 
      Nota da tradutora:
 
      [1] “Chocoano” é aquele natural da cidade de Chocó.
 
     [2] Equivalente a R$ 3.000.000,00
 
      [3] “Casa verde” foi o primeiro bunker de Tirofijo.
 

Lectores de Complot contra Colombia también leyeron:

 

Ganar la guerra para conquistar la pazEl Eln por dentroEn el infiernoLa selva rojaEl cartel de las FarcDeyanira, canto de guerra y pazCesó la horrible noche?Cóndor en el aireLa silla vacíaOperación JaqueOperación SodomaFallo SalomónicoDelirio del LIbertadorNarcoterrorismo la guerra del nuevo sigloConexión Al QaedaEstado Islámico ISISPrimavera Árabemartes de horrorGuerra SicológicaMágica Leyenda del Dorado
 

Lectores de Complot contra Colombia también leyeron:

 

Ganar la guerra para conquistar la pazEl Eln por dentroEn el infiernoLa selva rojaEl cartel de las FarcDeyanira, canto de guerra y pazCesó la horrible noche?Cóndor en el aireLa silla vacíaOperación JaqueOperación SodomaFallo SalomónicoDelirio del LIbertadorNarcoterrorismo la guerra del nuevo sigloConexión Al QaedaEstado Islámico ISISPrimavera Árabemartes de horrorGuerra SicológicaMágica Leyenda del Dorado